value1

O que é blockchain? A tecnologia mais perturbadora em décadas

A Blockchain está preparada para mudar a TI de forma semelhante à que o software de código aberto faz um quarto de século atrás. E da mesma forma que o Linux levou mais de uma década para se tornar uma pedra angular no desenvolvimento de aplicativos modernos, a Blockchain levará anos para se tornar uma maneira mais econômica e econômica de compartilhar informações entre redes abertas e privadas.

Mas o hype em torno deste livro de contas eletrônico aparentemente novo e seguro é real. Em essência, o blockchain representa um novo paradigma para a forma como a informação é compartilhada e os fornecedores de tecnologia e as empresas estão correndo para descobrir como eles podem usar a tecnologia do razão maior distribuído para economizar tempo e custos administrativos. Numerosas empresas este ano estão lançando programas-piloto e projetos do mundo real em uma variedade de indústrias – tudo, desde serviços financeiros até cuidados de saúde para pagamentos móveis.

É improvável que seja uma tecnologia totalmente disruptiva que ataca modelos de negócios tradicionais com uma solução de baixo custo que ultrapassa rapidamente qualquer outra tecnologia de rede, de acordo com Karim Lakhani, professor de administração de empresas da Harvard Business School. Em vez disso, o Blockchain é uma tecnologia fundamental, com o potencial de criar novas bases para sistemas econômicos e sociais, disse Lakhani em The Truth About Blockchain , que ele co-autor.

A adoção de Blockchain é esperada seja lenta e estável, pois as mudanças que traz ganham impulso, segundo Lakhani, investigador principal do Laboratório de Inovação Multidão e do Laboratório de Torneios da NASA no Harvard Institute for Quantitative Social Science. “Conceitualmente, isso é TCP / IP aplicado ao mundo dos negócios e transações”, disse Lakhani em uma entrevista. “Nos anos 70 e 80, o TCP / IP não era imaginável para ser tão robusto e escalável como era. Agora, sabemos que o TCP / IP nos permite toda essa funcionalidade moderna que damos por certo na web.

“Blockchain tem o mesmo potencial”.

O que é blockchain?

Em primeiro lugar e acima de tudo, o Blockchain é um livro eletrônico público – semelhante a um banco de dados relacional – que pode ser compartilhado abertamente entre usuários diferentes e que cria um registro imutável de suas transações, cada um marcado e vinculado ao anterior. Cada registro ou transação digital no segmento é chamado de bloco (daí o nome), e permite que um conjunto aberto ou controlado de usuários participe no livro de contas eletrônico. Cada bloco está ligado a um participante específico.

O Blockchain só pode ser atualizado por consenso entre os participantes no sistema, e quando novos dados são inseridos, ele nunca pode ser apagado. O bloco contém um registro verdadeiro e verificável de cada transação já feita no sistema.

Embora tenha um grande potencial, a tecnologia blockchain está em sua infância e os CIOs e suas contrapartes de negócios devem esperar contratempos na implantação da tecnologia, incluindo a possibilidade real de erros sérios no software.

Por exemplo, uma das plataformas de cadeias de bloco mais prevalentes, Ethereum, não suporta o uso de pontos decimais em seu script para contratos inteligentes (auto-executados). Aqueles que codificam uma rede de cadeias de bloco precisariam criar uma solução alternativa.

A Fundação Linux criou ferramentas para construir redes de colaboração de cadeias de blocos. E em julho, o desenvolvedor de código aberto revelou o Hyperledger Fabric 1.0, uma ferramenta de colaboração para a construção de cadeias de cadeias de cadeias de redes comerciais, como contratos inteligentes.

Enquanto alguns grupos da indústria estão trabalhando para a padronização de versões do software blockchain, há também cerca de 200 startups trabalhando em suas próprias versões da tecnologia de livros contábeis distribuídos.

Por que o blockchain está começando tanto zumbido? Em uma palavra, Bitcoin. Bitcoin é a cryptocurrência extremamente hipotecada, um método de transação de pagamentos através de uma rede aberta usando bits digitais e criptografia. Foi o primeiro descentralizado quando foi criado em 2009. Outras formas de criptografia ou dinheiro virtual, como a Ether (com base na plataforma de aplicação Ethereum blockchain ), também surgiram e abriram novos locais para trocas monetárias transfronteiriças .

O termo bitcoin foi o primeiro … bem, cunhado em 2008, quando Satoshi Nakamoto (provavelmente um pseudónimo para um ou mais desenvolvedores) escreveu um artigo sobre uma “versão peer-to-peer de dinheiro eletrônico que permitiria que os pagamentos on-line fossem enviados diretamente de uma parte para outra sem passar por uma instituição financeira “.

O que o blockchain faz?

Como uma rede peer-to-peer, combinada com um servidor de carimbo de tempo distribuído, os bancos de dados de cadeias de blocos podem ser gerenciados de forma autônoma para trocar informações entre partes diferentes. Não há necessidade de um administrador. Com efeito, os usuários do blockchain são o administrador.

Além disso, as redes de cadeias de blocos podem ser usadas para “contratos inteligentes” ou scripts que executam automaticamente quando determinadas condições são atendidas. Por exemplo, os usuários da troca de Ether de Ethereum devem atender a condições pré-determinadas que comprovem que alguém possui a cryptocurrency e tem autoridade para enviar o dinheiro que eles afirmam possuir. Além disso, vários usuários de blocos de bloco podem criar contratos que exigem mais de um conjunto de entradas para desencadear uma transação.

Um exemplo: as transações imobiliárias exigem assinaturas entre compradores, vendedores e suas instituições financeiras.

bloqueie como funciona

Quão seguro é o blockchain?

Embora nenhum sistema seja “incontrolável”, a topologia simples da blockchain é a mais segura hoje, de acordo com Alex Tapscott, CEO e fundador da Northwest Passage Ventures, uma empresa de capital de risco que investe em empresas de tecnologia blockchain.

“Para mover qualquer valor sobre qualquer tipo de cadeia de blocos, a rede [de nós] deve primeiro concordar que essa transação é válida, o que significa que nenhuma entidade pode entrar e dizer de uma maneira ou de outra se uma transação aconteceu ou não “, Disse Tapscott. “Para pirateá-lo, você não precisaria apenas cortar um sistema como em um banco … você precisaria cortar todos os computadores naquela rede, que está lutando contra você fazendo isso”.

Os recursos computacionais da maioria das cadeias de bloqueios são tremendos, disse Tapscott, porque não é apenas um computador, mas muitos. Por exemplo, o bloco de bitcoin encaixa em qualquer lugar entre 10 e 100 vezes mais potência de computação em comparação com todas as fazendas de serviços do Google juntas.

“Então, novamente, [não] não é hackeável, mas significativamente melhor do que tudo o que surgiu hoje”, disse Tapscott.

Cadastro de cadastro público vs. privado

Há uma variedade de permutações de blocos de bloco, e eles se enquadram principalmente em uma das duas categorias – públicas ou privadas. As cadeias de bloqueio público permitem que qualquer pessoa veja ou envie transações, desde que façam parte do processo de consenso. Há também cadeias de blocos de consórcio, onde apenas um número pré-selecionado de nós está autorizado a usar o razão. Por exemplo, um grupo de bancos e sua câmara de compensação podem usar o blockchain como parte do trade-clearing, onde cada nó está associado a um passo no processo de verificação.

As cadeias de bloqueio privadas, em contraste, restringem a capacidade de escrever em um livro de contas distribuído para uma organização, como um grupo de funcionários dentro de uma corporação ou entre um número determinado de organizações, como uma série de bancos que concordam com uma parceria de rede.

Ao longo do caminho, a cadeia de blocos – por causa de sua segurança auto-policial – elimina enormes quantidades de manutenção de registros, o que pode ficar muito confuso quando várias partes estão envolvidas em uma transação, de acordo com Saurabh Gupta, vice-presidente de estratégia da empresa de serviços de TI Genpact.

Quais indústrias usam o blockchain?

Remessa. Fintech. Cuidados de saúde. Blockchains estão sendo colocados em uma grande variedade de usos em várias indústrias. No envio, por exemplo, um conhecimento de embarque para embarques de carga tem sido tradicionalmente baseado em papel, o que requer múltiplas assinaturas de inspetores e receptores antes que mercadorias possam ser entregues. Mesmo quando o sistema é eletrônico, ainda exige que várias partes assinem as remessas de carga, criando um longo processo administrativo. Para tentar agilizar esse processo pesado, o maior operador de transporte de contêineres do mundo, a Maersk, anunciou recentemente que está usando um livro baseado em blocos para gerenciar e rastrear a trilha de dezenas de milhões de contêineres de navegação digitalizando a cadeia de suprimentos.

Cada participante da cadeia de fornecimento de frete pode visualizar o progresso dos bens através do livro de blocos, entendendo onde um contêiner está em trânsito. Eles também podem ver o status de documentos aduaneiros, ou ver contas de embarque e outros dados em tempo real. E, porque cria um registro imutável, nenhuma parte pode modificar, excluir ou mesmo anexar qualquer um dos blocos sem o consenso de outros na rede.

“O Blockchain e os livros contábeis distribuídos podem, eventualmente, ser o método para integrar toda a manutenção de registros do mundo comercial”, disse Gupta.

A Genpact, por exemplo, anunciou um serviço de finanças e contabilidade que alavanca os contratos inteligentes baseados em cadeias de blocos para capturar todos os termos e condições entre um cliente e uma organização para uma ordem.

Blockchain em FinTech

A Accenture divulgou recentemente um relatório afirmando que a tecnologia blockchain poderia reduzir os custos de infraestrutura para oito dos 10 maiores bancos de investimento do mundo em média 30% “, traduzindo para US $ 8 bilhões para US $ 12 bilhões em economia anual de custos para esses bancos”.

No caso de pagamentos transfronteiriços, o processamento é muitas vezes complexo e inclui várias camadas de comunicação entre os participantes do pagamento para verificar transações – uma operação conhecida como pagamento e liquidação.

Pagamentos, liquidação e liquidação no setor de serviços financeiros – incluindo mercados de ações – estão repletos de ineficiências porque cada organização no processo mantém seus próprios dados e deve se comunicar com os outros através de mensagens eletrônicas sobre o local onde está no processo. Como resultado, os assentamentos geralmente demoram dois dias. Esses atrasos nos assentamentos obrigam os bancos a reservar dinheiro que de outra forma poderia ser investido.

Como pode compartilhar dados instantaneamente com cada organização envolvida em um banco de dados ou contabilidade de blocos, a tecnologia reduz ou elimina a necessidade de reconciliação, confirmação e análise de troca comercial. Isso ajuda a produzir um processo de liquidação e liquidação mais eficiente e efetivo, de acordo com a Accenture.

O JP Morgan criou o que é, sem dúvida, uma das maiores redes de pagamentos de cadeias de blocos até o momento: a Rede Interbancária de Informações (IIN). A empresa de serviços financeiros anunciou que o Royal Bank of Canada e a Austrália e a New Zealand Banking Group Ltd. se juntaram à INN, “representando significativos volumes de pagamentos transfronteiriços”.

A JP Morgan criou a rede blockchain para reduzir significativamente o número de participantes necessários para responder à conformidade e outros inquéritos relacionados a dados que podem atrasar os pagamentos.

“O IIN aumentará a experiência do cliente, diminuindo a quantidade de tempo – de semanas a horas – e os custos associados à resolução de atrasos de pagamento”, disse Emma Loftus, Diretora de Pagamentos Globais e FX da JP Morgan Treasury Services. “As capacidades do Blockchain nos permitiram repensar a forma como as informações críticas podem ser obtidas e trocadas entre bancos globais”.

value1

3 maneiras de aceitar pagamentos Bitcoin em seu site

Bitcoin esteve nas últimas notícias ultimamente. Vários grandes varejistas online – como o Steam e Overstock – começaram a aceitar esse tipo de moeda. Isso significa que pode ser hora de você considerar fazer o mesmo.

Felizmente, você não precisa saber muito sobre a Bitcoin para aceitá-lo como uma forma de pagamento. Na verdade, alguns serviços como a Coinbase podem levar seus Bitcoins automaticamente e transformá-los em moeda forte. Do ponto de vista prático, é como se você tivesse aceitado um pagamento regular.

Neste artigo, falaremos sobre o motivo pelo qual você deve considerar aceitar os pagamentos do Bitcoin em seu site e apresentá-lo em três maneiras de fazê-lo. Vamos ao que interessa!

O que os pagamentos do Bitcoin são (e por que você deve considerar aceitá-los)

A página inicial da Coinbase.
Você pode usar trocas para comprar e vender o Bitcoin, bem como para armazená-los em uma pitada.

Bitcoin é uma rede descentralizada, peer-to-peer que permite que seus usuários enviem dinheiro um para o outro. Basicamente, é uma ferramenta que você pode usar para enviar e receber pagamentos digitais de qualquer pessoa quase que instantaneamente, em qualquer parte do mundo.

Esta cryptocurrency cresceu muito desde a sua criação em 2009, e a adoção está em um nível histórico. Se você faz negócios on-line, faz sentido considerar aceitar Bitcoin ao lado de outros métodos de pagamento, porque:

  • É fácil receber pagamentos Bitcoin.  Tudo o que você precisa fazer é distribuir um endereço e indicar o quanto os usuários do Bitcoin precisam pagar.
  • Existem muitos processadores de pagamento disponíveis.  Se você não quer receber pagamentos diretamente, vários processadores podem lidar com isso e converter seus Bitcoins em moeda corrente.
  • Você pode manter o Bitcoin como um investimento.  Bitcoin é volátil, mas seu valor aumentou tremendamente ao longo dos últimos anos.
  • O Bitcoin é mais rápido do que outros métodos de pagamento.  Se você for pago usando cartões de crédito, pode levar semanas até que você possa usar esse dinheiro. Com o Bitcoin, você pode usar seus fundos assim que o pagamento for confirmado (o que normalmente leva minutos).
  • Suas taxas tendem a ser muito baixas.  O Bitcoin não leva uma porcentagem de seus pagamentos (a menos que você use um processador de terceiros), ao contrário de métodos semelhantes. Você só precisa anexar uma pequena taxa (muitas vezes apenas centavos) para o seu pagamento para ser processado pela rede.

Tecnicamente, qualquer empresa pode aceitar o Bitcoin. No entanto, é particularmente útil para sites que vendem produtos e serviços digitais. O uso do Bitcoin permite que você processe pagamentos com taxas mais baixas e receba dinheiro instantaneamente. Esta moeda também é adequada para sites que precisam receber pagamentos internacionais, já que é  muito  mais rápido que as transferências bancárias de um país para outro.

3 maneiras de aceitar pagamentos Bitcoin em seu site

Nesta seção, vamos apresentá-lo a dois processadores de pagamento Bitcoin e a um método manual. Vamos começar com o primeiro.

1. Coinbase

O programa Coinbase Merchant.

Coinbase é uma das maiores trocas Bitcoin. Além de permitir aos usuários regulares comprar e vender o Bitcoin usando seus cartões de crédito e contas bancárias, a Coinbase também oferece um serviço comercial.

Você pode se inscrever no serviço comercial da plataforma, seja como empresa ou como indivíduo. De qualquer forma, você poderá começar a aceitar os pagamentos do Bitcoin em seu site, que irão diretamente para a sua conta Coinbase. Então, você pode usar o serviço para converter essas moedas e retirá-las para sua conta bancária por uma taxa de 1%. O serviço é totalmente gratuito além disso, e se você quiser manter seu Bitcoin, não há taxa para fazê-lo.

No geral, a Coinbase é uma excelente escolha para as empresas que querem manter algumas das suas participações na Bitcoin. Se o seu site vê uma quantidade significativa de vendas, você também pode se beneficiar da criação de levantamentos diários para o seu banco.

Características principais:

  • Ative pagamentos do Bitcoin em seu site para qualquer tipo de serviço que você deseja.
  • Retirar seus pagamentos ao seu banco local em troca de uma taxa de 1%.
  • Instrua a Coinbase para manter parte de seus ganhos em Bitcoin e liquidar o resto.

2. BitPay

A página inicial do BitPay.

Assim como a Coinbase, o BitPay permite que você receba pagamentos Bitcoin e os transforme em retiradas bancárias por uma taxa de 1%. No entanto, ao contrário da Coinbase, esta plataforma não tira do duplo dever como uma troca. Em vez disso, trata-se de processamento de pagamento.

O BitPay fez um nome para si no campo, e é o processador de pagamento Bitcoin de escolha para plataformas como Shopify e Steam. Ele suporta dezenas de integrações com plataformas principais, e você pode usá-la para aceitar pagamentos únicos, configurar inscrições e até mesmo receber doações. Além disso, ele cuida do faturamento e da manutenção de registros para você, o que o torna ideal para sites que desejam uma solução completa.

Características principais:

  • Aceite pagamentos Bitcoin e retire dinheiro para sua conta bancária local.
  • Configure pagamentos únicos, assinaturas recorrentes e doações em seu site.
  • Deixe a plataforma cuidar do faturamento e manutenção de registros para você (apenas para pagamentos da Bitcoin).

3. Aceite pagamentos manualmente

A carteira Coinbase Bitcoin.

Um dos principais pontos de venda da Bitcoin é que você não precisa confiar em serviços de terceiros para usá-los. Se você quiser, você pode aceitar pagamentos Bitcoin em seu site sem ter que passar por outra plataforma.

O processo é relativamente simples – apenas gere um endereço Bitcoin para cada venda que você faz em seu site e forneça instruções sobre quanto dinheiro as pessoas devem enviar. Você receberá as moedas em sua carteira, e você pode processar o pedido assim que a transação for confirmada.

Claro, se você usar este método, você terá que cuidar do faturamento e da cobrança por conta própria. Você também precisará organizar a entrega de itens ou serviços que você vende e fornecer os endereços de pagamento manualmente. Isso é potencialmente um monte de trabalho, mas ele corta o intermediário. Isso torna este método ideal para sites que só precisam aceitar pagamentos Bitcoin de tempos em tempos, ou que vêem pequenos volumes de vendas.

Características principais:

  • Aceite pagamentos Bitcoin sem a necessidade de um intermediário.
  • Armazene seus Bitcoins em qualquer carteira que você deseja e use-os assim que a transação for confirmada.
  • Troque seu Bitcoin por qualquer moeda que você quiser, usando plataformas como LocalBitcoin .

Conclusão

É difícil saber o que acontecerá com Bitcoin em alguns anos. Por enquanto, no entanto, faz sentido considerar aceitar esta moeda para pagamentos em seu site, porque há muitas pessoas que o utilizam. Felizmente, há muitos métodos que permitem que você comece a aceitar o Bitcoin sem muita confusão e continuar com o negócio como de costume.

Aqui estão três dos nossos métodos favoritos que permitem aos sites aceitar pagamentos Bitcoin:

  1. Coinbase :  uma troca que funciona como um processador de pagamento.
  2. BitPay :  este processador de pagamento pode lidar com assinaturas, doações e até faturamento para pagamentos Bitcoin.
  3. Pagamentos manuais:  Aceitar pagamentos manualmente corta o intermediário, mas pode ser um monte de trabalho dependendo do seu volume de negócios.

Você tem dúvidas sobre como aceitar os pagamentos do Bitcoin em seu site? Vamos falar sobre eles na seção de comentários abaixo!

Crédito da imagem: Pixabay .

value1

SSD vs HDD

A maioria das pessoas agora compra laptops para suas necessidades de computação e tem que tomar a decisão de obter uma Unidade de Estado Sólido (SSD) ou disco rígido (HDD) como componente de armazenamento. Então, qual dos dois é a melhor escolha, um SSD ou HDD? Não há uma resposta direta a esta questão; cada comprador tem diferentes necessidades e você tem que avaliar a decisão com base nessas necessidades, suas preferências e, claro, orçamento. Mesmo que o preço dos SSD tenha caído, o preço por vantagem gigabyte ainda é forte com HDDs. No entanto, se o desempenho e a inicialização rápida forem sua principal consideração e o dinheiro for secundário, o SSD é o caminho a seguir. Para o restante deste artigo, faremos uma comparação do armazenamento SSD e HDD e superaremos o bom, o ruim e o feio de ambos.

O que é um SSD?

Não vamos fazer hipóteses aqui e manter este artigo em um nível que qualquer um possa entender. Você pode estar comprando um computador e simplesmente se perguntando o que realmente significa SSD? Para começar, SSD significa Solid State Drive. Você provavelmente está familiarizado com as varas de memória USB – o SSD pode ser pensado como uma versão superdimensionada e mais sofisticada da memória USB humilde. Como uma barra de memória, não há peças móveis para um SSD. Em vez disso, as informações são armazenadas em microchips. Por outro lado, uma unidade de disco rígido usa um braço mecânico com uma cabeça de leitura / gravação para se deslocar e ler informações da localização certa em um prato de armazenamento. Essa diferença é o que torna o SSD muito mais rápido. Como uma analogia, o que é mais rápido? Tendo que atravessar a sala para recuperar um livro para obter informações ou simplesmente, magicamente, ter esse livro aberto à sua frente quando você precisar disso? É assim que um HDD se compara a um SSD; simplesmente requer mais trabalho físico (movimento mecânico) para obter informações.

Um SSD típico usa o que é chamado de memória flash baseada em NAND. Este é um tipo de memória não volátil. O que não é volátil significa que você pergunta? A resposta simples é que você pode desligar o disco e não “esquecerá” o que foi armazenado nele. Esta é, naturalmente, uma característica essencial de qualquer tipo de memória permanente. Durante os primeiros dias do SSD, rumores flutuavam dizendo que os dados armazenados desapareceriam e perderiam depois de apenas alguns anos. Independentemente disso, esse rumor certamente não é verdade com a tecnologia de hoje, pois você pode ler e escrever para um SSD durante todo o dia e a integridade do armazenamento de dados será mantida por mais de 200 anos. Em outras palavras, a vida de armazenamento de dados de um SSD pode sobreviver a você!

Um SSD não tem um braço mecânico para ler e gravar dados, em vez disso, depende de um processador incorporado (ou “cérebro”) chamado de controlador para executar um conjunto de operações relacionadas à leitura e gravação de dados. O controlador é um fator muito importante na determinação da velocidade do SSD. Decisões relacionadas a como armazenar, recuperar, armazenar em cache e limpar dados podem determinar a velocidade geral da unidade. Nós não entraremos nos detalhes nítidos para as várias tarefas que executa, como correção de erros, armazenamento e cache de leitura e gravação, criptografia e coleta de lixo para citar alguns. No entanto, basta dizer que a boa tecnologia de controle é muitas vezes o que separa um SSD excelente de um bom. Um exemplo de um controlador rápido hoje é o controlador SSD SandForce SATA 3.0 (6GB / s) que suporta velocidades de ruptura de até 550MB / s velocidades de leitura e gravação.

Finalmente, você pode estar se perguntando sobre o que é um SSD e como é fácil substituir um disco rígido por um dispositivo pós-mercado. Se você olhar para as imagens abaixo, você verá o topo e o lado de baixo de um SSD de 2,5 “de tamanho normal. A tecnologia é encerrada dentro de uma caixa de plástico ou metal e parece nada mais do que o que uma bateria poderia:

SSD Top Side

SSD Bottom Side

O fator de forma do SSD é realmente o mesmo que um disco rígido normal. Ele vem em um tamanho padrão de 1,8 “, 2,5” ou 3,5 “que pode caber na caixa e conectores para os discos rígidos de mesmo tamanho. O conector usado para esses tamanhos padrão é SATA. Existem SSD menores disponíveis que utilizam o chamado mini-SATA (mSATA) e se encaixam no slot mini-PCI Express de um laptop.

O que é um HDD?

Hard Disk Drives, ou HDD em techno-parlance, foram para os anos de burro em relação ao mundo da tecnologia. As HDDs foram introduzidas pela IBM pela primeira vez em 1956 – sim, esta é quase uma tecnologia de 60 anos de idade, graças a tubos de vácuo de boa qualidade para TVs não durou tanto tempo! Um HDD usa o magnetismo para armazenar dados em um prato rotativo. Uma cabeça de leitura / gravação flutua acima dos dados de leitura e gravação da bandeja giratória. Quanto mais rápido o prato gira, mais rápido o disco rígido pode ser executado. As unidades de laptop típicas hoje giram em 5400 RPM (Revoluções por minuto) ou 7200RPM, embora alguns pratos baseados no servidor giram em até 15.000 RPM!

A principal vantagem de um HDD é que ele é capaz de armazenar muitos dados de forma econômica. Atualmente, 1 TeraByte (1.024 gigabytes) de armazenamento não é incomum para um disco rígido de laptop, e a densidade continua a crescer. No entanto, o custo por gigabyte é difícil de calcular agora-a-dia, pois há tantas classes a serem consideradas, embora seja seguro dizer que todas as HDDs são substancialmente mais baratas do que SSDs. Como comparação, o popular WD Black (1TB) vai para cerca de US $ 69 na maioria dos sites enquanto os SSD OCZ Trion 100 (960GB) e Samsung 850 EVO (1TB) passam por US $ 199 e US $ 319, respectivamente, três a cinco vezes o preço da WD Preto. Então, se você quer um armazenamento barato e muito, usar um disco rígido padrão é definitivamente o caminho mais atraente.

Quando se trata de aparência, HDDs essencialmente parecem os mesmos de fora como SSDs. As HDDs usam predominantemente a interface SATA. O tamanho mais comum para discos rígidos de laptop é o fator de forma 2.5 “, enquanto um fator de forma maior de 3,5” é usado em computadores de mesa. O tamanho maior permite mais travessas dentro e, portanto, mais capacidade de armazenamento. Alguns discos rígidos de mesa podem armazenar até 6 TB de dados! Abaixo está um exemplo do que um HDD parece usar o disco rígido Hitachi Deskstar 7K4000 4TB:

HDD Top Side

HDD Bottom Side

SSD vs Comparação HDD

Agora é hora de fazer algumas comparações e determinar qual pode ser melhor para suas necessidades individuais – SSD ou HDD? A melhor maneira de comparar itens é uma tabela com uma comparação lado a lado de itens em que uma caixa verde indica uma vantagem:

AtributoSSD (Solid State Drive)HDD (Hard Disk Drive)
Power Draw / Battery LifeMenos tiragem de energia, mede 2 a 3 watts, resultando em aumento de bateria de mais de 30 minutosMais power draw, mede 6 a 7 watts e, portanto, usa mais bateria
CustoCaro, aproximadamente $ 0.20 por gigabyte (com base na compra de uma unidade de 1TB)Apenas cerca de US $ 0,03 por gigabyte, muito barato (comprando um modelo de 4TB)
CapacidadeNormalmente, não é maior do que 1 TB para unidades de tamanho de notebook; 4TB max para desktopsNormalmente, cerca de 500GB e 2TB máximo para unidades de tamanho de notebook; 10 TB máximo para desktops
Tempo de inicialização do sistema operacionalCerca de 10-13 segundos de tempo de inicialização médioCerca de 30-40 segundos de tempo médio de inicialização
BarulhoNão há partes móveis e, como tal, sem somCliques e fiação audíveis podem ser ouvidos
VibraçãoNenhuma vibração, pois não há partes móveisA rotação das travessas às vezes pode resultar em vibração
Calor ProduzidoDesenho de energia inferior e sem partes móveis é produzido tão pouco calorHDD não produz muito calor, mas terá uma quantidade mensurável de mais calor do que um SSD devido a peças móveis e maior potência
Taxa de falhaTempo médio entre a taxa de falha de 2,0 milhões de horasTempo médio entre a taxa de falha de 1,5 milhão de horas
Velocidade de cópia / gravação de arquivoGeralmente acima de 200 MB / s e até 550 MB / s para unidades de corteO intervalo pode ser de 50 a 120 MB / s
CriptografiaCriptografia de disco completo (FDE) Compatível com alguns modelosCriptografia de disco completo (FDE) Compatível com alguns modelos
Velocidade de abertura do arquivoAté 30% mais rápido que HDDMais lento do que SSD
Magnetismo afetado?Um SSD está seguro de quaisquer efeitos do magnetismoÍmãs podem apagar dados

Se contamos as verificações, o SSD obtém 9 e HDD obtém 3. Isso significa que um SSD é três vezes melhor do que um HDD? De modo nenhum. Como mencionamos anteriormente, tudo depende das necessidades individuais. A comparação aqui é apenas para apresentar os prós e contras para ambas as opções. Para ajudá-lo ainda mais, aqui estão algumas regras a seguir quando você decidir qual a unidade é melhor para você:

Um HDD pode ser a escolha certa se:

  • Você precisa de muita capacidade de armazenamento, até 10 TB
  • Não quer gastar muito dinheiro
  • Não se preocupe muito com a rapidez com que um computador inicia ou abre programas – então obtenha um disco rígido (HDD).

Um SSD pode ser a escolha certa se:

  • Você está disposto a pagar pelo desempenho mais rápido
  • Não me importo com a capacidade de armazenamento limitada ou pode trabalhar em torno disso (embora o SSD do consumidor agora vá até 4 TB e a empresa executa até 60 TB)

HDDs ainda são a escolha popular para a maioria dos consumidores médios, geralmente escolhendo o HDD como a opção de armazenamento em seu novo computador simplesmente devido ao custo muito mais barato. No entanto, mais e mais consumidores desejam o melhor desempenho de computação e optam por um SSD dentro de sua nova configuração ou como uma atualização para o atual. Como tal, os SSDs estão bem no caminho para se tornar o principal mecanismo de armazenamento padrão, especialmente para laptops, dadas as vantagens que apresentam para um dispositivo móvel (atualmente são o dispositivo de armazenamento padrão na categoria Ultrabook ). Dito isto, sempre haverá um mercado para HDDs e SSDs. O advento dos  dispositivos mSATA SSD  e unidades híbridas que incluem SSD e HDD Características é outra opção para os consumidores que procuram um pouco do melhor dos dois mundos, mas esse é um tópico para outro dia!

value1

Como instalar o Nextcloud 11 no CentOS 7

Instalar o Nextcloud 11 no CentOS 7 é uma tarefa fácil se você seguir os passos abaixo. Nextcloud é um software de código aberto para criar e usar serviços de hospedagem de arquivos. Tem muitos recursos extras de calendário, sincronização e contatos, além dos recursos de hospedagem de arquivos. É uma ótima alternativa gratuita para alguns serviços populares como Google Drive, Dropbox, Box , etc. Neste tutorial, vamos mostrar-lhe como instalar o Nextcloud 11 no CentOS 7.

Para executar o Nextcloud em seu VPS, os seguintes requisitos devem ser instalados:

  • MySQL ou MariaDB
  • PHP 7.0 +
  • Apache 2.4 com módulo mod_php

Neste tutorial, instalaremos a versão mais recente do Nextcloud em um dos nossos VPSs CentOS 7 com MariaDB, PHP e Apache.

1. Atualize o sistema

Primeiro, faça o login no seu CentOS 7 VPS via SSH como root do usuário:

ssh root@IP_Address

e certifique-se de que está totalmente atualizado:

yum -y update

2. Instalar o servidor MariaDB

Nextcloud requer um banco de dados vazio, então vamos instalar o servidor MariaDB:

yum -y install mariadb mariadb-server

Uma vez que ele está instalado, inicie MariaDB e ative-o para iniciar no boot:

systemctl start mariadb
systemctl enable mariadb

e execute o  mysql_secure_installationscript pós-instalação para concluir a configuração do MariaDB:

mysql_secure_installation

Enter current password for root (enter for none): ENTER
Set root password? [Y/n] Y
Remove anonymous users? [Y/n] Y
Disallow root login remotely? [Y/n] Y
Remove test database and access to it? [Y/n] Y
Reload privilege tables now? [Y/n] Y

Uma vez instalado o MariaDB, faça login no servidor de banco de dados como raiz do usuário e crie banco de dados e usuário para Nextcloud:

mysql -u root -p

MariaDB [(none)]> CREATE DATABASE nextcloud;
MariaDB [(none)]> GRANT ALL PRIVILEGES ON nextcloud.* TO 'nextclouduser'@'localhost' IDENTIFIED BY 'YOURPASSWORD';
MariaDB [(none)]> FLUSH PRIVILEGES;
MariaDB [(none)]> \q

3. Instalar o Servidor da Web Apache

Em seguida, vamos instalar o servidor web Apache:

yum install httpd -y

Inicie o Apache e faça com que ele comece no boot:

systemctl start httpd.service
systemctl enable httpd.service

4. Instale o PHP 7

A versão padrão do PHP no CentOS 7 é o PHP 5.4. Neste tutorial, vamos instalar o PHP versão 7 .

Instale os pacotes repositório Remi e EPEL:

rpm -Uvh http://rpms.remirepo.net/enterprise/remi-release-7.rpm
rpm -Uvh https://dl.fedoraproject.org/pub/epel/epel-release-latest-7.noarch.rpm

Ativar Remi Reposição do PHP 7:

yum-config-manager --enable remi-php70

e instale o PHP 7 e vários módulos PHP exigidos pelo Nextcloud executando o seguinte comando:

yum -y install php php-mysql php-pecl-zip php-xml php-mbstring php-gd

Em seguida, abra o arquivo de configuração do PHP e aumente o tamanho do arquivo de upload. Você pode encontrar a localização do arquivo de configuração do PHP executando o seguinte comando:

php --ini |grep Loaded
Loaded Configuration File:         /etc/php.ini

No nosso caso, devemos fazer alterações no arquivo /etc/php.ini. Aumentaremos o limite de upload padrão para 100 MB. Você pode definir os valores de acordo com suas necessidades. Execute os seguintes comandos:

sed -i "s/post_max_size = 8M/post_max_size = 100M/" /etc/php.ini
sed -i "s/upload_max_filesize = 2M/upload_max_filesize = 100M/" /etc/php.ini

e reinicie o servidor web:

systemctl restart httpd

5. Instale Nextcloud

Acesse o site oficial da Nextcloud e baixe o último lançamento estável da aplicação

wget https://download.nextcloud.com/server/releases/nextcloud-11.0.2.zip

descompacte o arquivo zip baixado para o diretório raiz do documento em seu servidor

unzip nextcloud-11.0.2.zip -d /var/www/html/

Defina o usuário Apache como o proprietário dos arquivos Nextcloud

chown -R apache:apache /var/www/html/nextcloud/

Finalmente, acesse o Nextcloud em http: // yourIP / nextcloud. O assistente de instalação verificará se todos os requisitos e se tudo estiver OK, você será solicitado a criar seu usuário administrador e selecionar armazenamento e banco de dados. Selecione MySQL / MariaDB como banco de dados e insira os detalhes do banco de dados que criamos anteriormente nesta publicação:

Database user: nextclouduser
Database password: YOURPASSWORD
Database name: nextcloud
host: localhost
value1

Você já conhece o WebSheep?

De umas semanas para cá, nossa equipe vem escutado e lendo muitos depoimentos sobre essa ferramenta.
O WebSheep é um sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS), assim como o WordPress, Joomla, Drupal entre outros.

Mas o que tem de tão especial nessa ferramenta que vem despertando a curiosidade nos web designers e desenvolvedores?

A ferramenta é Open-Source, e está disponível no GitHub  nesse link

É uma ferramente leve, dinâmica, rápida, de simples instalação e com um conceito único.
Israel Nogueira, o criador da ferramenta, afirma que iniciou o projeto como hobbie para suprir uma necessidade própria, pois as ferramentas no mercado não o agradavam.

“Eu nunca gostei dos sistemas que existiam, então resolvi criar a minha (risos).  Minha intensão sempre foi ajudar as pessoas que não sabem programar mas querem desenvolver seus sites sem depender de ninguém”.

Com muitos haters a sua volta sempre criticando ou desmotivando, Israel decidiu fechar os olhos e usar isso como combustível e seguir em frente.

“É muito difícil quando se tem muitos haters né? Não querem ajudar em nada e sentem prazer em desmotivar. Só sabem achar defeitos mas nunca uma solução. Então resolvi ignorar!”

O WebSheep tem causado divisões nos fóruns, tudo porque é uma ferramenta que não segue digamos os “padrões” da concorrência. E Israel ainda afirma:

“Veja, não estou preocupado com o padrão. Cada sistema tem a sua estrutura, sua particularidade, a nossa é essa e ponto. Temos várias opções no mercado que são ótimas e podem suprir a necessidade de quem não se agradou não é mesmo?”

Analisamos o código do WebSheep, e achamos muito organizado, limpo, e de fácil entendimento.
Sim, realmente possui necessidades a serem implementadas, mas seria covardia da nossa parte em comparar o WebSheep que tem apenas 3 semanas de lançamento com outra ferramenta que tem  mais de 10 anos de idade.

O web designer Jefferson Trindade de 20 anos residente de RJ disse:

“Ele é o melhor sistema pra mim. Eu estava em busca de um CMS, pois nao me adaptava aos dominantes do mercado.Ai eu lí sobre o WebSheep e dei uma chance.Acabou que superou minhas expectativas e eu me adaptei fácil.Pra mim é o melhor sistema CMS da atualidade.”

No final das contas o projeto realmente é um orgulho, pois só pelo fato de ser nacional, já merece todo respeito e apoio da comunidade.

Pensando nisso, a  Lalunahost saiu na frente, e tem o orgulho de ser a 1° empresa especializada na plataforma WebSheep.

Possuímos servidores calibrados e configurados para dar o melhor suporte, performance, estabilidade e robustez para a sua aplicação WebSheep.

Contamos também com um suporte especializado na plataforma, treinada pelo próprio desenvolvedor do sistema que nos ensinou até os mais profundos níveis de cada camada da sua aplicação.

Não perca tempo, experimente essa ferramenta fantástica aproveitando tudo o que ela tem a oferecer!

Venha para Lalunahost

value1

O MUNDO DAS ALTCOINS COMO PAGAMENTO DE HOSPEDAGEM DE SITES

Para começar neste mundo fantástico das Altcoins vamos entender um pouco o que é o tão falado Bitcoin.

Quando fazemos um pagamento com uma nota de 50 Reais, estamos fazendo um pagamento que é rápido, barato, e quem não requer intermediários. Rápido, porque o tempo para a transação ser finalizada é o tempo de entregar a cédula ao vendedor. Barato porque porque não há taxas nesta transação. Sem intermediários porque não é necessário que nenhuma outra empresa participe deste processo, nem do lado do comprador, nem do lado do vendedor.

Entender o Bitcoin é simples. Ele é uma tecnologia digital que permite reproduzir em pagamentos eletrônicos a eficiência dos pagamento com cédulas descrita acima. Pagamentos com bitcoins são rápidos, baratos e sem intermediários. Além disso, eles podem ser feitos para qualquer pessoa, que esteja em qualquer lugar do planeta, sem limite mínimo ou máximo de valor.

Agora que entendemos um pouco sobre as Bitcoin vamos falar sobre as altcoins:

Altcoins são criptomoedas alternativas ao Bitcoin. A maioria dos altcoins surgiram a partir de bifurcações (do inglês: fork) do código-fonte do Bitcoin, com o intuito de modificar alguns parâmetros internos da rede do Bitcoin ou adicionar novas features, a depender do objetivo de cada Altcoin. Atualmente, existem quase 700 moedas digitais alternativas ao Bitcoin.

Bitcoin é uma criptomoeda que teve o surgimento iniciado em meados de outubro de 2008, quando o seu suposto criador Satoshi Nakamoto publicou o famoso whitepaper descrevendo os fundamentos teóricos do Bitcoin e o primeiro release do código-aberto em Janeiro de 2009. Apenas mais de dois anos depois, em abril de 2011, que ocorreu a primeira bifurcação do código do Bitcoin chamado Namecoin. A taxa com quais altcoins surgiam não cresceu muito até 2013, até que atingiu um ponto no qual vários altcoins eram lançados semanalmente.

Agora que você já entende um pouquinho de Bitcoins e Altcoins você já pode também pagar os serviços da LALUNAHOST com seus Bitcoins ou sua Altcoin preferida, nós estamos aceitando como forma de pagamento várias moedas através de uma parceria com a CoinGate e Shapeshift, o pagamento é rápido fácil e seguro.

Se você ainda quer aprender mais sobre essas moedas virtuais participe do grupo no FACEBOOK BITCOIN BRASIL lá você encontrará muita gente boa para lhe ajudar com o assunto.

Até a próxima pessoal.

value1

INTRODUÇÃO E COMO APRENDER LINUX SENDO NOVATO

Então você finalmente decidiu começar a aprender e usar o Linux, mas tudo parece complicado e esmagador? Iremos guiá-lo através da curva de aprendizado e ajudá-lo com dicas práticas sobre como começar com o Linux.

O que é “Linux”?

Primeiro, você deve entender o que ” Linux ” realmente é. Em resumo, é um sistema operacional (SO) usado por milhões de dispositivos em todo o mundo, de computadores desktop, laptops, dispositivos móveis para eletrodomésticos. O site que você está lendo neste post é alimentado por um servidor Linux. Você pode executar diferentes softwares e aplicativos em cima do sistema operacional Linux. Existem pré-compilados, pré-construído “conjunto” de aplicações e software que são executados no Linux, mais comumente conhecido como distribuições Linux (distros). Se você já está familiarizado com o Windows ou Mac OS, você provavelmente terá um tempo fácil de ajustar a uma distro desktop Linux, como o Ubuntu ou Mint.

Introdução às distribuições Linux

Existem distribuições Linux diferentes, todos com configurações diferentes e todos são ótimos para diferentes usos e propósitos. Você pode até mesmo construir uma distro você mesmo, e implementar qualquer software GNU que você quer para o seu sistema operacional.

A distro Linux mais popular para computadores de mesa

A distro Linux mais popular para computadores domésticos é o Ubuntu. Você pode até mesmo verificar sua turnê on-line , que é uma espécie de um Demo da Ubuntu desktop distro. O Ubuntu é uma escolha sábia para iniciantes , pois é uma das distribuições mais populares e tem a maior comunidade on-line, o que significa que você pode facilmente encontrar ou obter ajuda de outros usuários do Ubuntu. Além da comunidade, você também tem uma documentação grande e detalhada. E tudo é gratuito, incluindo a documentação e a própria distro.

A distro Linux mais popular para servidores

A maioria dos sites online são executados em um servidor Linux. Mesmo se você usar um painel de controle (como cPanel ), o próprio painel é executado em um servidor Linux. As distros mais usadas para servidores são Ubuntu e CentOS . A edição do servidor Ubuntu é muito semelhante à versão do desktop, com a única diferença que você não tem uma interface gráfica do usuário (GUI) no seu servidor Ubuntu. CentOS é mais utilizado por empresas e provedores de hospedagem na web. O painel de controle mais popular (cPanel) é executado no CentOS. Você está livre para editar e alterar qualquer distribuição Linux de acordo com suas necessidades. Você pode instalar um ambiente de desktop em cima do CentOS e você pode usar CentOS em um desktop, com uma GUI.

Não há escolha errada para uma distro Linux. Você deve fazer sua própria pesquisa e encontrar a melhor distro para você e suas necessidades. O que funciona para você pode não funcionar para outra pessoa, e vice-versa.

Benefícios do Linux sobre o Windows

  • A principal razão pela qual a maioria das pessoas gosta de usar o Linux é que é de código aberto, seguro e transparente . Todo mundo pode ver o código fonte do Linux e todos podem contribuir (se eles têm o know-how), isso significa que tudo é transparente e é impossível esconder algo do público. Você não precisa comprar nenhuma licença para usar o Linux, é completamente gratuito. Você também pode editar o Linux de acordo com seus gostos, então você não está preso com determinados aplicativos e softwares.
  • Comparado ao Windows, o Linux é muito mais seguro e estável . Há menos vírus e outros malwares para o Linux em comparação com o Windows. Se você ficar seguro e continuar usando o Linux corretamente, é quase impossível obter hackeado ou infectado.
  • O Linux não  requer o hardware de topo da linha . Ele pode ser executado em praticamente qualquer peça de hardware, não importa quão velho e desatualizado ele é. Existem distribuições Linux especiais como o Lubuntu, que podem rodar perfeitamente em um computador de 256 MB de RAM. Desde Linux tem muito menos requisitos, é mais rápido , especialmente out-of-the-box em relação ao Windows.

Casos de uso do Linux no mundo real

O Linux é usado em todo o mundo para diferentes fins e casos de uso. Alguns deles são:

  • Servidores e hospedagem na web . Como dito anteriormente, a maioria dos servidores e provedores de hospedagem web usam o Linux como seu sistema operacional. Nós da LalunaHost oferecemos servidores virtuais Linux ( servidores de nuvem) e fazemos isso desde 2011. Você pode obter um Virtual Private Server (VPS) com distribuições diferentes, como Ubuntu , CentOS , Debian , Arch Linux e muito mais. Se você está aprendendo desenvolvimento web, web design, ou se você está iniciando seu próprio blog / site, você definitivamente precisa aprender mais sobre servidores Linux e hospedagem na web.
  • Uso doméstico (desktop) . Pode não ser tão popular como o Windows, mas o Linux tem uma grande base de usuários para uso na área de trabalho. Distros como Ubuntu estão prontos para ser usado como um sistema operacional primário para o seu desktop / laptop out-of-the-box. Tudo já está configurado, ele tem uma interface gráfica agradável e é muito novato-amigável.
  • Dispositivos incorporados. Você pode não perceber, mas a maioria dos dispositivos que você vê em torno de você são alimentados por Linux. Por exemplo: eletrodomésticos inteligentes, players de mídia em vôo, smartphones e qualquer coisa, realmente. Você pode automatizar praticamente qualquer coisa usando o Linux e um Raspberry Pi . Portanto, os casos de uso aqui são praticamente intermináveis.
  • Jogos. Sim, o Linux pode ser usado como sistema operacional de jogos também. Há muitos jogos construídos para Linux, e alguns jogos populares podem ser jogados nativamente em uma distribuição Linux. Steam tem sua própria distro Linux especificamente feita com jogos em mente, SteamOS .
  • Empresas e desenvolvimento de software. Linux pode ser (e é) usado profissionalmente também. Muitas empresas usam o Linux para seus PCs de trabalho, já que a maioria das distribuições Linux oferecem uma ampla gama de ferramentas corporativas. A maioria dos desenvolvedores web e engenheiros de software (programadores) usam distros Linux para os benefícios que mencionamos anteriormente.

O Linux pode ser usado para praticamente qualquer coisa. Nossa recomendação é começar a usá-lo e começar a aprendê-lo o mais rápido possível.

Por que você deve aprender Linux

Por que não? Os benefícios que você recebe do Linux são infinitas. Além dos benefícios do uso do Linux que mencionamos anteriormente e dos casos de uso do mundo real, existem outras razões pelas quais você deve aprender o Linux:

  • Primeiro de tudo, é divertido de aprender e divertido de usar. Não para todos, compreensivelmente. Mas para a maioria das pessoas, usar algo melhor e diferente será uma experiência divertida.
  • A demanda por habilidades relacionadas ao Linux está crescendo constantemente. É fácil encontrar um emprego e construir uma carreira com suas habilidades de Linux, especialmente agora que há um monte de empresas usando Linux e engenheiros de software desenvolvendo com Linux. Há uma alta demanda para os administradores de sistemas Linux, e seu crescimento profissional é uma das razões pelas quais você deve começar a aprender se você decidir construir uma carreira com o Linux.
  • Você provavelmente vai precisar das habilidades. Especialmente se você estiver em TI. Você provavelmente encontrará um dispositivo Linux com um problema que você precisa solucionar e corrigir de uma maneira ou de outra, e suas habilidades com o Linux sempre serão úteis quando você correr para o Linux.
  • É grátis , tanto o SO quanto os tutoriais. A comunidade Linux é sobre o uso de software de fonte aberta e compartilhamento de conhecimento, o que significa que será mais fácil encontrar recursos Linux gratuitamente.

Como aprender Linux

Pronto para começar a aprender Linux? Isso é ótimo. Aqui estão as nossas recomendações sobre como fazê-lo:

  • Experiência em um VPS. Não há melhor experiência prática do que usar um VPS Linux. Com um VPS, você obtém a mesma experiência que usar um servidor dedicado, você usará apenas a interface de linha de comando e poderá reconstruir (completamente redefinir) o VPS a qualquer momento e começar de novo. Então, uma vez que você quebrar alguma coisa, tente corrigi-lo. Se você não pode, basta reconstruir seu VPS e começar de novo. Tenha cuidado, porém, você deve obter um VPS com acesso completo à raiz . Alguns fornecedores limitam o acesso aos VPS dos seus clientes,
  • Comece a usá -lo. Instale uma distribuição Linux em seu PC doméstico. Comece a usá-lo em suas atividades diárias. Você ainda vai aprender muito, mesmo que você apenas use o seu PC para navegar na internet.
  • Leia . A Internet está cheia de tutoriais e artigos gratuitos do Linux, então comece a lê-los. Você pode verificar nosso blog onde temos diferentes tipos de artigos e tutoriais relacionados ao Linux, e todos eles estão disponíveis gratuitamente. Faça uma rápida busca no Google por livros, tutoriais e cursos do Linux. Você encontrará milhões de resultados.
  • Siga e participe das comunidades Linux . Apenas sobre qualquer distro Linux tem um fórum oficial / comunidade, então junte-se a eles. Participe de qualquer fórum do Linux que você encontrar. Você vai aprender muito com os outros membros. Existem todos os tipos de comunidades Linux. Variando de fóruns para iniciantes Linux a comunidades para dispositivos Linux incorporados. Escolha um que você mais gosta.

Você pode sempre pesquisar no google quaisquer questões ou perguntas que você pode ter e você provavelmente vai encontrar uma resposta. A comunidade Linux é muito ativa e já resolveu e respondeu muitos problemas sobre qualquer pergunta que você possa ter. Nunca é tarde demais para começar a aprender o Linux. O kernel e distros são constantemente atualizando e mudando, mas a base é ainda o mesmo. Há sempre algo novo para aprender sobre o Linux, mesmo se você for um profissional.

value1

INTRODUÇÃO AO ANSIBLE

O Ansible é um mecanismo de automação de código aberto que automatiza o provisionamento em nuvem, o gerenciamento de configuração e a implantação de aplicativos. Ele pode configurar sistemas, implementar software e orquestrar tarefas de TI mais avançadas, como implantações contínuas ou atualizações sem interrupção de tempo de inatividade. Uma vez instalado em um nó de controle, o Ansible, que é uma arquitetura sem agente, conecta-se a um nó gerenciado por meio do tipo de conexão OpenSSH padrão .

Simplicidade e facilidade de uso são os principais objetivos da Ansible, com foco na segurança e confiabilidade.
Os desenvolvedores da Ansible acreditam que a simplicidade é relevante para todos os tamanhos de ambientes, então o design é para usuários ocupados de todos os tipos: desenvolvedores, administradores de sistemas, engenheiros de lançamento, gerentes de TI e todos os demais. Ansible é apropriado para gerenciar todos os ambientes, desde pequenas configurações com um punhado de instâncias para ambientes corporativos com muitos milhares de instâncias.

Já mencionamos que Ansible gerencia máquinas de uma maneira sem agente. A questão de como atualizar os daemons remotos ou o problema de não ser capaz de gerenciar os sistemas porque os daemons são desinstalados nunca é um problema. O OpenSSH é um dos componentes de código aberto mais analisados ​​pelos pares, pelo que a exposição à segurança é muito reduzida. O Ansible é descentralizado – depende de suas credenciais de sistema operacional existentes para controlar o acesso a máquinas remotas. Se necessário, o Ansible pode se conectar facilmente com Kerberos, LDAP e outros sistemas de gerenciamento de autenticação centralizados.

Princípios de Design Ansible

  • Ter um processo de instalação simples e uma modo de aprendizagem fácil;
  • Gerenciar máquinas muito rapidamente e em paralelo;
  • Evite agentes customizados e portas abertas adicionais, seja sem agente, alavancando o daemon SSH existente;
  • Descreva a infra-estrutura em uma linguagem que seja simultaneamente amigável para a máquina e para o ser humano;
  • Foco na segurança e auditabilidade fácil / revisão / reescrita de conteúdo;
  • Gerencie novas máquinas remotas instantaneamente, sem bootstrapping nenhum software;
  • Permita o desenvolvimento de módulos em qualquer linguagem dinâmica, não apenas no Python;
  • Ser utilizável sem root;
  • Ser o sistema de automação de TI mais fácil de usar.

INSTALAÇÃO ANSÍVEL

Por padrão, Ansible gerencia máquinas sobre o protocolo SSH. Uma vez instalado, o Ansible não adicionará um banco de dados, o que significa que não haverá nenhum daemon para iniciar ou continuar executando. Você pode facilmente instalar Ansible e gerenciar suas máquinas remotas a partir dele. Ansible pode ser instalado no RedHat, Debian, CentOS, OS X, BSD e mais sistemas através dos gerenciadores de pacotes de sistemas operacionais, PIP ou de fonte.

REDHAT/CENTOS/FEDORA

Os usuários do Fedora podem instalar o Ansible diretamente, no entanto, os usuários do CentOS e do RHEL precisam habilitar o repo EPEL primeiro. Pode ser feito usando:

RHEL / CentOS 7 64-Bit #

# wget http://dl.fedoraproject.org/pub/epel/7/x86_64/e/epel-release-7-9.noarch.rpm
# rpm -ivh epel-release-7-9.noarch.rpm

RHEL / CentOS 6 32-Bit

# wget http://download.fedoraproject.org/pub/epel/6/i386/epel-release-6-8.noarch.rpm

# rpm -ivh epel-release-6-8.noarch.rpm

RHEL / CentOS 6 64-Bit

# wget http://download.fedoraproject.org/pub/epel/6/x86_64/epel-release-6-8.noarch.rpm

# rpm -ivh epel-release-6-8.noarch.rpm

Depois de instalar o EPEL, execute:

# yum update

# yum install ansible

UBUNTU

Antes de instalar o Ansible no Ubuntu , o PPA precisa ser habilitado :

# sudo apt-get install software-properties-common

# sudo apt-add-repository ppa:ansible/ansible

# sudo apt-get update

# sudo apt-get install ansible

DEBIAN

Os usuários do Debian podem alavancar a mesma fonte que o Ubuntu PPA:

Com um dos seus editores de texto favoritos adicione a linha abaixo ao arquivo /etc/apt/sources.list:

deb http://ppa.launchpad.net/ansible/ansible/ubuntu trusty main

Salve e feche o arquivo e execute:

# sudo apt-key adv --keyserver keyserver.ubuntu.com --recv-keys 93C4A3FD7BB9C367

# sudo apt-get update

# sudo apt-get install ansible

Ansible pode ser instalado usando PIP também. Os comandos abaixo irão instalar algumas ferramentas Python muito necessárias, PIP e, em seguida, Ansible:

# apt-get install python-setuptools

# easy_install pip

# pip install ansible

Por padrão, Ansible usa OpenSSH para comunicação remota e tem um arquivo de inventário padrão onde você pode definir quais servidores serão gerenciados. O arquivo em questão é: / etc / ansible / hosts

Puramente para fins de referência, você pode copiar o arquivo padrão para que você possa verificá-lo mais tarde:

# cp /etc/ansible/hosts /etc/ansible/hosts.org

Agora você pode editar o arquivo de inventário de acordo com suas necessidades. Mais informações sobre o Inventário Ansible podem ser encontradas aqui .

Agora, isso é apenas um vislumbre do que é Ansible e oferece aos usuários. Este é apenas um artigo do get-to-know que esperançosamente estimulará seu interesse em Ansible e nas características maravilhosas que oferece.

Uma informação mais detalhada que você certamente vai precisar é a documentação Ansible .

value1

Na LalunaHost você tem páginas mais rápidas com mod_pagespeed

As páginas de um site são compostas de vários elementos. A página com o conteúdo em si (HTML), as várias imagens utilizadas, arquivos Javascript que permitem algum nível de interatividade na página, arquivos CSS que definem a forma como todo conjunto é apresentado, dentre outros.

Cada vez que um visitante acessa uma página de nosso site, todos estes arquivos são enviados ao navegador do cliente que se encarrega de pegar os vários “pedaços” e montar a página final que o visitante visualiza em seu navegador. Para facilitar o entendimento, não vamos discutir o funcionamento de cache neste artigo.

Uma série de otimizações pode ser realizada pelos profissionais responsáveis pelo desenvolvimento do site para que o resultado final seja exibido no menor tempo possível ao visitante. Entretanto, a dinâmica de atualização de páginas, o uso de gerenciadores de conteúdo (CMS) como WordPress, Joomla e Drupal e a cada vez maior participação de vários profissionais multidisciplinares no desenvolvimento de um único projeto torna mais difícil o gerenciamento da aplicação destas regras.

O Google propôs uma alternativa com o mod_pagespeed. Um módulo para os servidores web Apache e Nginx que tem como objetivo melhorar a velocidade de carregamento das páginas de nossos sites. O funcionamento é muito simples, mas gera resultados muito interessantes.

Resumidamente o mod_pagespeed lê os arquivos que o servidor envia para o navegador do cliente e aplica uma série de boas práticas para agilizar o processo. Dentre elas podemos destacar:

  • compressão dos arquivos CSS, Javascript e HTML removendo os espaços em branco e comentários;
  • consolidação de vários arquivos Javascript em um único arquivo, reduzindo o número de requisições do navegador do cliente para o servidor onde sua página está hospedada; e,
  • redimensionamento das imagens para o tamanho que o navegador irá exibir, reduzindo o tamanho do arquivo de imagens a ser transmitido.

Todos os domínios da NOSSA plataforma de hospedagem possuem o mod_pagespeed configurado, assim as páginas de seu site serão carregadas muito mais rapidamente pelos visitantes. E você não perde clientes nem oportunidades de negócio.

value1

COMO INSTALAR O NEXTCLOUD NO CENTOS 7

O Nextcloud é um software de código aberto para criar e usar serviços de hospedagem de arquivos. Ele tem um monte de recursos extras de calendário, sincronização e contatos, além de seus recursos de hospedagem de arquivos. É uma ótima alternativa gratuita para alguns serviços populares, como Google Drive, Dropbox, Box , etc.

Para executar o Nextcloud em seu VPS, os seguintes requisitos precisam ser instalados:

  • MySQL ou MariaDB
  • PHP 7.0 +
  • Apache 2.4 com módulo mod_php

Neste tutorial, vamos instalar a versão mais recente do Nextcloud em um de nossos CentOS 7 VPSes com MariaDB, PHP e Apache. Se você quiser usar um Ubuntu VPS , verifique nosso tutorial sobre como instalar o Nextcloud no Ubuntu 16.04

Atualizar o sistema

Primeiro, faça login no CentOS 7 VPS via SSH como usuário root:

ssh root@IP_Address

E certifique-se de que ele está totalmente atualizado:

yum -y update

Instalar o servidor MariaDB

O Nextcloud requer um banco de dados vazio, por isso vamos instalar o servidor MariaDB:

yum -y install mariadb mariadb-server

Uma vez instalado, inicie o MariaDB e ative-o para iniciar no boot:

systemctl start mariadb
systemctl enable mariadb

E execute o mysql_secure_installation script pós-instalação para concluir a configuração do MariaDB:

mysql_secure_installation

Enter current password for root (enter for none): ENTER
Set root password? [Y/n] Y
Remove anonymous users? [Y/n] Y
Disallow root login remotely? [Y/n] Y
Remove test database and access to it? [Y/n] Y
Reload privilege tables now? [Y/n] Y

Depois que o MariaDB estiver instalado, faça login no servidor de banco de dados como usuário root e crie o banco de dados eo usuário para o Nextcloud:

mysql -u root -p

MariaDB [(none)]> CREATE DATABASE nextcloud;
MariaDB [(none)]> GRANT ALL PRIVILEGES ON nextcloud.* TO 'nextclouduser'@'localhost' IDENTIFIED BY 'YOURPASSWORD';
MariaDB [(none)]> FLUSH PRIVILEGES;
MariaDB [(none)]> \q

Instalar o Servidor Web Apache

Em seguida, vamos instalar o servidor web Apache:

yum install httpd -y

Iniciar o Apache e fazê-lo começar no boot:

systemctl start httpd.service
systemctl enable httpd.service

Instalar o PHP 7

A versão padrão do PHP no CentOS 7 é PHP 5.4. Neste tutorial, vamos instalar o PHP versão 7 .

Instale pacotes de repositórios Remi e EPEL:

rpm -Uvh http://rpms.remirepo.net/enterprise/remi-release-7.rpm
rpm -Uvh https://dl.fedoraproject.org/pub/epel/epel-release-latest-7.noarch.rpm

Ativar Remi PHP 7 repo:

yum-config-manager --enable remi-php70

E instalar o PHP 7 e vários módulos PHP requeridos pelo Nextcloud executando o seguinte comando:

yum -y install php php-mysql php-pecl-zip php-xml php-mbstring php-gd

Em seguida, abra o arquivo de configuração do PHP e aumente o tamanho do arquivo de upload. Você pode encontrar o local do arquivo de configuração PHP executando o seguinte comando:

php --ini |grep Loaded
Loaded Configuration File:         /etc/php.ini

No nosso caso, temos de fazer alterações no arquivo /etc/php.ini. Aumentaremos o limite de upload padrão para 100 MB. Você pode definir os valores de acordo com suas necessidades. Execute os seguintes comandos:

sed -i "s/post_max_size = 8M/post_max_size = 100M/" /etc/php.ini
sed -i "s/upload_max_filesize = 2M/upload_max_filesize = 100M/" /etc/php.ini

E reinicie o servidor web:

systemctl restart httpd

Instalar o Nextcloud

Vá para o site oficial do Nextcloud e faça o download da versão estável mais recente do aplicativo

wget https://download.nextcloud.com/server/releases/nextcloud-11.0.2.zip

unpack the downloaded zip archive to the document root directory on your server

unzip nextcloud-11.0.2.zip -d /var/www/html/

Set the Apache user to be owner of the Nextcloud files

chown -R apache:apache /var/www/html/nextcloud/

Finally, access Nextcloud at http://yourIP/nextcloud . The installation wizard will check if all requirements and if everything is OK, you will be prompted to create your admin user and select storage and database. Select MySQL/MariaDB as database and enter the details for the database we created earlier in this post:

Database user: nextclouduser
Database password: YOURPASSWORD
Database name: nextcloud
host: localhost

Naturalmente , você não precisa fazer nada disso se usar um dos nossos serviços Managed Nextcloud Hosting , caso em que você pode simplesmente pedir aos nossos administradores experientes do Linux para instalar o Nextcloud para você. Eles estão disponíveis 24 × 7 e vai cuidar do seu pedido imediatamente.

PS. Se você gostou deste post, compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais usando os botões à esquerda ou simplesmente deixe uma resposta abaixo. Obrigado.